Verde Minas

Isolada em meu quarto, tenho ao meu lado duas telas;
Uma delas está pintada pelas mãos da modernidade
e me conecta aos caos que ainda não quero me distanciar.
Em outra tela está o mundo que ocupo no momento, mundo real que consigo tocar e não apenas me conectar distantemente.
Dois mundos em um só, vivendo o conforto e o desconforto.
Apesar dos pesares tenho meus privilégios, conheço os ventos, eles assopram em meus ouvidos me dizendo quando a chuva virá.
Um calor que aquece e não queima, fácil de lidar e desvendar.
Ainda sinto saudade, construí no azul dos mares uma outra vida que também adoro, quem disse que não gosto de desafios
Lidei, e me adaptei ao ritmo das ondas, me acostumei com suas variações, apenas me entristeço quando vejo o quão difícil e navegar nesse mar.
Mas o verde torna a me acolher, como fez por vinte anos de minha vida, onde olho pela janela , vejo poesia.
O pintado naturalmente que se altera com o tempo e estação e ainda me envia raio de luz pela manhã, tão calmo onde aprendi a poetizar volto agora a versar, pois minha mente está novamente florescendo.
Verde que sempre amei,
Para ti voltei
De ti nunca me esquecerei.
Vista da minha janela

Publicado por eulumello

Olá, sou Luciene e aqui está meu site com meus atributos profissionais. Sou estudante de jornalismo, amante da arte de ensinar através da informação.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: